terça-feira, 31 de julho de 2018

Favoritos de Junho + Julho


Sobre a vida e para a vida:

  • "There are so many thoughts we could think
  • So many things we could do
    So many places we could go
    But for tonight, let´s be here dreaming, under the light of the moon".

Estas pequenas melodias cheias de talento:




O cinema deste mês:

Forever my girl: Por momentos, pensei que o meu coração fosse parar de tanto amor. Um dos filmes com uma história e personagens bem construídas. Um músico de country pode voltar atrás e emendar o maior erro da sua vida? Neste caso, não só pode como vai! Liam Page, volta à terra onde cresceu e se apaixonou com o objetivo recuperar o amor da sua vida. 
Mais filmes de romance tão bons quanto este, por favor!


The Back-up Plan: Por vezes, encontrar o homem certo não é nada fácil e quando decidimos rolar a vida para a frente é nesse preciso momento que ele aparece. E agora? Queremos acreditar que é mesmo o nosso amor para a vida toda e que não nos vai deixar? Arriscar ou não? Insistir ou abrir mão? Uma resposta que somente Zoe pode dar a Stan, o dono do seu coração.


Truth or Dare?: Uma viagem ao méxico com os amigos? Sim! Quanto ás consequências que uma simples aventura pode trazer já nem por isso. Como sair quando não encontrámos uma saída para os problemas e desafios?
Olivia e o seu grupo vão fazer de tudo para encontrar uma solução, todavia, nem todos sobreviverão.


quarta-feira, 25 de julho de 2018

"Todos devemos ser feministas" e "Livro do Desassossego"

Recentemente, li duas obras que nos enche de questões e nos oferece outras perspetivas, assim como nos coloca a refletir - acerca das nossas atitudes, o que se passa nos outros países e de como ainda não se aceita tão bem as mudanças e a igualdade de direitos.



✍ A primeira obra: "Todos devemos ser feministas" de Chimamanda Ngozi Adichie.

Logo na primeira página deste pequeno exemplar a autora gratifica-nos com esta frase"...como os estereótipos limitam e formatam o nosso pensamento,...". Uma frase tão verdadeira, quanto sincera. Caminhámos para uma sociedade igual em direitos mas infelizmente ainda existem pés calcados e bocas silenciadas para quem pretende chegar ao topo ou ainda fazer-se escutar. Não são todas mulheres, mas é constituída por uma grande maioria delas. Como é que no início dos tempos a mente humana criou no lugar do amor e do respeito, fronteiras e padrões. Porquê que tudo isto começou? Pelas desigualdades finaceiras? Pelos encaixes em classes na sociedade? Por tons de pele? Por línguas estrangeiras? Ou ainda por receio das grandes mentes e no fundo grandes humanos serem superiores ao que o dinheiro pode comprar, ao que o gosto pode diferenciar?
Sejam indivíduos do género masculino como do feminino, ambos têm direitos e partilham crenças, perspetivas e histórias em comum. Podem também partilhar apenas o fato de ser humano porque até isso já é alguma coisa e representa apreço.
A autora neste livro, recorre a casos de exemplo de vida pessoal na qual testemunha como é ser feminista na pele de uma mulher africana nos dias de hoje. O preconceito que existe á volta e o receio dos homens perante o poder do feminismo.
Foi uma leitura sem dúvida magnífica! Adorei ler cada palavra e de momento apetece-me ler muitas mais obras da autora da qual acho que vão ser também sensacionais. Aconselho a lerem, mas não é apenas direcionado às raparigas. É antes um abre-olhos para todos os indivíduos integrantes da sociedade!

✍  A segunda obra: "O Livro do desassosego"de Fernando Pessoa.

Para ler e conseguir perceber bem a mensagem que o autor nos pretende demonstrar é necessário em primeiro lugar, saber a história da sua vida- o que nos ilumina acerca de determinadas reflexões salientes do escritor- e consequentemente estudar bem todos os conceitos associados á sua maneira de pensar. Não é uma obra de fácil leitura porém acho que é bonita as palavras que nela fluem. Na primeira parte foi inclusive, dificíl me cativar pela forma como escreve, dado que estava habituada a ler poemas e não tanto obras sem um ligamento bem definido mais da parte do desenvolvimento e do fim. Básicamente de como as suas introspeções encaixam. Em segundo lugar, é preciso estar bastante atento a toda a sucessão de pensamentos e tópicos por ele abordados.

As citações que se relacionam bem com o que por vezes sentimos/pensámos:

1- Críticas irrefletidas: "E então, porque o espírito humano tende naturalmente para criticar porque sente, e não porque pensa,..."

2- Viver o momento: "Em nada me pesa ou em mim dura o escrúpulo da hora presente. Tenho fome da extensão do tempo, e quero ser eu sem condições."

3- Definir cada emoção sentida: "Dar a cada emoção uma personalidade, a cada estado de alma uma alma."

4- Mágoa/Perda: "Mas ás vezes sou diferente, e tenho lágrimas, lágrimas das quentes, dos que não têm nem tiveram mãe; e meus olhos que ardem dessas lágrimas mortas ardem dentro do meu coração."

5- Imperfeição: "Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter; repugná-la-íamos, se a tivéssemos. O perfeito é o desumano, porque o humano é imperfeito."

Espero que tenham gostado desta minha pequena opinião! Qual foi a citação que mais gostaram? E o livro que mais se identificaram?

domingo, 22 de julho de 2018

O novo respirar de domingo | #3


As reflexões deste domingo incidem sobre as saudades, o "novo" e do deixar rolar para a frente o que surge.
Saudades do tempo passado. Dos momentos que não voltam. Nostalgia do que partilhámos, e da voz adormecida. Saudades ainda, por outra via dos lugares localizados nestas fotografias. Despertam tanta alegria quanta nostalgia. Dos caminhos percorridos e das aventuras que termirnaram em plena felicidade.
Um livro aberto de memórias - boas - daquelas que abastecem o coração a continuar a andar na direção: Norte. E, apenas se necessário dar uma volta pelo Sul sem nunca perder o verdadeiro rumo da essência que somos. Não esquecer da casa onde a nossa alma cresceu e o que nela aprendeu. Consolidar e ir á procura do novo. Novas alegrias, novas vivências e novas loucuras. Cometer erros, sem todavia deixarmos de os compreender. O motivo, as razões que nos conduziram a tal lapso.
E um conselho? Querer é poder. Só não insisto do que nada me acrescenta, do que nada me traz. E tu?Do que sentes saudades? O que fizeste de novo? A tua mais recente loucura?



sexta-feira, 13 de julho de 2018

Um ser sem igual



A vida toma diferentes formas de ser, de como agir e no final de como te surpreender. Nós, somos a voz do que queremos e do acreditámos, tomámos a postura do que defendémos e ainda assim somos muitas vezes criticados.

Não tem mal sermos apologistas de uma perspetiva totalmente em desacordo da qual os nossos amigos, colegas e conhecidos salvaguardam. Aliás, são as desigualdades de opiniões, de visões e de pensamentos que transformam e revigoram o respirar de cada um num ser ímpar, sem igual.
Inclusive, essa partilha contribuí para a compreensão, para a liberdade de conquistar o caminho que pretendes seguir por mais diferente que seja de todos os outros. São momentos, são alternativas, são portas abertas para não um, mas vários trajetos que pretendes prosseguir.

Há detalhes que fazem a diferença. Pode não te dizer respeito diretamente a ti e nem te preocupares acerca de determinados aspetos porém, para outras vidas pode gerar importância. No lugar da crítica automática coloca a procura da compreensão. Na tomada de poder escolhe antes a união.

Em suma, há dois tipos de críticas distintas e por essa desigualdade pode variar entre ser aceite ou repugnada. Por uma lado, a crítica construtiva realça o melhor que podemos transformar daquilo que temos, fazémos e no geral de quem somos.

Por outro lado, a crítica opinada por maldade não acrescenta nada de novo nem de relevante. Encontra-se na mão de cada um o dedo que pretende apontar e isso diz muito todavia, do caráter de cada um.

terça-feira, 10 de julho de 2018

5 filmes e 5 livros para este verão


Embora a maior parte do meu tempo tenha sido reservado essencialmente para estudar, procurei também alugar um tempinho para mim. Daí resultou esta conjugação de cinco filmes e cinco livros retidos para esta estação do qual não podia deixar de partilhar com vocês!

Filmes:

  • Vi todos os filmes aqui nomeados e adorei cada um deles pela sua singularidade. Juntei pipocas, risos, lágrimas e uma boa companhia para ver comigo. Uma verdade acerca de mim é que não gosto tanto de ver uma obra cinematográfica sozinha. Prefiro ver com alguém até porque deste modo participa comigo nestas realizações recheadas de aventura.


1º- "Game Night": um filme de comédia e mistério. Agora para vos iluminar um pouquinho mais trata-se de um casal, nomeadamente: Max e Annie que organizam noites de jogo frequentemente na sua casa. Com o simples intuito de se divertirem, passarem um bom tempo com os seus amigos e claro o de saber quem ganha no final! O irmão mais velho do talentoso Max, numa noite decide ser ele a reunir em sua casa a malta toda. O problema é a escolha do jogo coincidir com a situação que a seguir se desenrola. Cada vez que as pistas se aproximam do fim mais tudo à sua volta acontece de forma surreal e inesperada.
Para que conste, foi um dos melhores filmes que alguma vez vi! Adorei desde o princípio até o fim e as pipocas não foram unicamente a minha companhia, mas também as gargalhadas que não aguentei conter.

2º- "The Kissing Booth": um filme de comédia romântica em que duas personagens principais para além da enorme amizade que partilham, têm também em comum o dia de aniversário. Desde pequenos que se dão bem e têm um bom relacionamento um com o outro. Porém, as coisas mudam um pouco de cenário quando uma das partes quebra um conjunto de regras em prol do amor.
Quer para relaxar quer para conhecer uma bonita história entre dois seres, este é definitivamente um bom filme para qualquer ocasião.

3º- "Midnight sun": mais um filme que pertence á categoria de romance, mas que não podia deixar de aconselhar. Confesso que a trama é um pouco previsível, mas mesmo assim não deixou de me emocionar. Este filme aborda a história de uma rapariga que tem um problema de saúde bastante complicado e raro. A sua "sobrevivência" depende de uma regra em especial da qual precisa respeitar: proteger-se da luz solar. Esta condição é fundamental para viver e todos os dias contam. Todavia, esta circunstância muda de rumo quando o rapaz por quem ela tem uma paixoneta a conhece e juntos vivem uma curta, mas bonita história de amor.
Num pequeno á parte este filme lembrou-me muito o "Everything everything". Para quem não conhece e gostou do filme referido anteriormente aconselho a espreitarem este também!

4º- "Incredibles": para esta obra cinematográfica vou resumir em apenas quatro palavras a sua essência: animação, super-heróis, família e incríveis!

5º- "Ressaca": só risos e três atores masculinos que tornaram uma simples despedida de solteiro numa fantástica aventura com muito mistério e perigo. Este evento permite a fraternização entre três amigos e a resolução dos feitos ocorridos na noite passada. Já que, toda a vez que acordam no dia a seguir à grande noitada não se lembram de rigorosamente nada!


Livros:

  • Desta lista apenas ainda tenho o primeiro na minha mesinha de cabeceira e do qual já comecei a ler com sucesso! Os restantes eu espero ainda vir a comprar porque realmente despertaram-me imensa curiosidade!


1º- "O livro do desassossego" de Fernando Pessoa: uma leitura que estou a tentar não devorar de uma vez toda até porque o autor em questão esconde pistas em cada palavra escrita. Palavras de uma mente brilhante e da qual preciso de ler mais.

2º- "Homens sem mulheres" de Haruki Murakami: este conto encontra-se dividido em 7 histórias de indivíduos do sexo masculino sobre o que escondem, o que contam e de como se definem enquanto pessoas. Os sentimentos associados à ausência de amor e de melancolia.

3º-  "A estranha ordem das coisas" de António Damásio: neste livro, o próprio autor desafia-se a responder a perguntas complexas originadas das mentes humanas. Questões como a cultura, os sentimentos, a essência da vida e as várias temáticas com ela relacionadas.

4º- "A vida secreta da mente" de Mariano Sigman: queres ter respostas sobre como funciona a nossa mente? Então acredito que este livro é para ti. Ainda não o li, mas a sinopse deste fala por si e estou com expectativas bastante elevadas quanto ás respostas perante o modo como a nossa consciência trabalha.
O terceiro e o quarto livros têm um pouco em comum, mas, eu gosto sempre de ler mais que uma perspetiva acerca do assunto e não resisti em abrigá-los no meu coração!

5º- "Querida Ijeawele", de Chimamanda Ngozi Adichie: Num mundo constantemente em mudança, uma amiga da autora questiona-lhe a pedir conselhos acerca de como deve educar a sua filha como uma feminista nos dias de hoje. Chimamanda Ngozi Adichie em resposta escreve-lhe uma carta na qual reflete o verdadeiro significado do feminismo e a sua valorização.
Este é um livro que quero muito comprar! Quer pelo tema em questão quer pelo conhecimento e testemunho da autora.

Já alguém leu ou tem algum livro que acima referi? E quanto aos filmes? Quem já viu todos?


sexta-feira, 6 de julho de 2018

Navio Gil Eanes e o que ele tem para contar | Viagens com registo


Há pouco tempo, tirei um dia de pausa nos estudos e aproveitei para dar um saltinho a Viana do Castelo. Por lá, visitei o navio Gil Eanes e fiquei fascinada com o seu interior. O seu exterior era porventura bastante bonito mas a minha admiração recaiu mais no que se passava precisamente no núcleo da embarcação. Há tanto espaço calculado ao pormenor para que tudo funcionasse corretamente.
A entrada foi cerca de quatro euros e acreditem que cada moeda valeu a pena! Durante a minha passada procurei tirar fotografias de modo a que pudesse um dia voltar a recordar e quem sabe a viajar mais uma vez. Examinei também todo o barco de cima abaixo e o meu percurso durou mais que uma hora! Eu ainda julgava que a visita iria ser rápida mas afinal aquele navio ainda tinha muito que me contar ou então era eu que ainda tinha muito que descobrir.


Algumas curiosidades:
  • Esta embarcação foi construída entre o período de 1 de dezembro de 1952 a 20 de março de 1955 nos estaleiros de Navais. Como se pode verificar, demorou cerca de 3 anos para este projeto apresentar-se concluído.
  • No ano 2013, foi permitido a sua renovação e apenas no ano seguinte este propósito foi alcançado.  
  • O nome deste grande barco deriva do seu navegador português, nomeadamente: Gil Eanes. Este foi o primeiro em 1914 a atravessar o tão apavorado Cabo Bojador. 
  • A embarcação desempenhava a função de navio-hospital porém também realizou assistência no ato da pesca do bacalhau. 


Mapa

A minha parte favorita da embarcação foi sem sombra de dúvida a sensação de estar na proa! É bom sentir o vento e eu só desejava naquele momento que o motor arrancasse por uns momentos para sentir-me verdadeiramente livre dos meus pés na terra. Sei que não sou muito aventureira mas também sei que vou dizer mais vezes a palavra sim a sítios para explorar, maravilhas para desvendar e a novas experiências. É bom poder viver mas é ainda melhor saber como viver feliz.

Navio Gil Eanes, atracado no Porto de Pescas de Viana Do Castelo

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Erros, o que trazem e o que transformam


Todos nós, - leitores, pequenos sonhadores, lutadores e super-heróis - cometemos erros. Infelizmente, não é apenas uma vez, mas é natural que também aconteçam, somos humanos. Por outras palavras, temos o direito a falhar, a executar imperfeições. Somos a inexatidão com vitalidade, com impulso. O rebuliço entre o propósito que temos e o que fazemos durante o seu desconhecimento.
Os erros trazem conhecimento e transformam-nos em seres mais sábios. Quanto mais errámos mais aprendemos. No que lhe concerne, temos uma melhor perceção entre o que é (o) errado e o que pode ser (o) mais correto. Nem tudo é errado como nem tudo é totalmente certo. Por isso, temos estas duas metades em tudo que enfrentámos e harmonizamos. O mais importante é saber aceitar o nosso erro. Não há nenhum problema no engano. Antes pelo contrário, existe uma margem maior de certeza e de lucidez perante a próxima insegurança que enfrentarmos. Nesta medida, delimitamos o período de escolha a fim de não hesitarmos tanto entre o que definitivamente optar.
Filtrar o que de bom a vida nos brinda e saber viver em consonância com o que fizemos de errado. Despertar a alma que sustenta todo o nosso corpo e experienciar todas as opções que o mundo nos proporciona. Preservá-las em modo livre, desobstruídas da negatividade e conciliá-las em nós como as luzes das grandes cidades à noite.







"Erros são, no final das contas, fundamentos da verdade. Se um homem não sabe o que uma coisa é, já é um avanço do conhecimento saber o que ela não é", Carl Jung.

domingo, 1 de julho de 2018

BEM-VINDO JULHO


Julho




 Querido Julho, tenho muitos planos para ti e por esse mesmo motivo vais presenciar uma montanha russa de aventuras e de descobertas.
Encontrar-te-ás rodeado de amor, música e boa disposição. Até porque o lema que manda no meu coração é a alegria e a união.
Conduz-nos sempre a conquistar mais e nunca a receber menos do que precisámos. A vida também ensina que o amor-próprio é legítimo e bem-merecido de atenção. Por isso, que nunca poupémos forças nem tempo para nos desrespeitar-nos ou negarmos o que de tão bom temos e somos capazes.
Obrigada pelo que vais trazer, fazer acontecer e rolar para a frente. Eu acompanharei cada teu amanhecer e entardecer assim como me acordarás e adormecerás em cada tua suave cantiga.





Com tecnologia do Blogger.