domingo, 13 de junho de 2021

Friends: The Reunion

 Sinopse:


"No episódio especial Friends: The Reunion, acompanhamos os bastidores de uma das maiores sitcoms de todos os tempos. Após 17 anos, Rachel, Ross, Monica, Phoebe, Chandler e Joey voltam a reunir-se. Num formato de entrevista, relembram os episódios e contam histórias até então desconhecidas da série que marcou diversas gerações. A produção também conta com a presença de convidados especiais."


Ano de Publicação: 2021.


Entrevistador: James Corden.


Género: Documentário, Entrevista, Talk-show.


IMDB: 8.2.


Crédito - Friends: The Reunion
Opinião:

Estava a contar os dias para voltar a estar com o meu elenco preferido de sempre da minha série favorita de sempre. Nesta reunião, as 6 personagens mais icónicas do mundo dos sitcoms voltam a estar juntos. 

Neste regresso de Friends, misturado a um sentimento de throwback voltamos a ver estas pessoas maravilhosas a comentarem algumas das histórias de bastidores, a responderem a algumas perguntas dos fãs, a reencenarem pequenos momentos de alguns episódios e a deixarem cair uma lágrima ou outra quando a saudade dos velhos tempos aperta. 

Os realizadores também se envolvem nesta conversa e partilham como foi o processo de escolha de cada um dos protagonistas. Basicamente, é uma agradável conversa com muitas gargalhadas e sobretudo com o coração preenchido por termos a oportunidade de ver todos os que participaram na série sob o mesmo teto uma vez mais. 

Foi muito bom regressar à série que é um quentinho no coração para mim e para tantas outras pessoas, o que me faz lembrar que podemos acompanhar também a opinião de alguns fãs sobre o episódio para eles que foi o mais icónico ou o porquê de esta sitcom vibrar o coração e a energia de tantas pessoas.

Não esperem muito tempo para ver porque vale tanto a pena que se demorarem vão se questionar o porquê de terem adiado por tanto tempo. Prometo!

sábado, 12 de junho de 2021

The Conjuring 3 - The Devil Made Me Do It | Filmes

 Sinopse:


"Os Warrens ficaram horrorizados com a história. Um dos casos mais sensacionais dos seus arquivos começa com a luta pela alma de um menino jovem, em seguida, leva-os além de alguma coisa que eles já viram antes, para marcar a primeira vez nos EUA. Um suspeito de assassinato alegaria ter poderes demoníacos."


Ano de Publicação: 2021.


Realização: Michael Chaves, James Wan.


Género: Terror, thriller, mistério.


IMDB: 6.5.


Crédito - The Conjuring 3, The Devil Made Me do It
Opinião:

Um ano pandémico depois, voltei a ver um filme nos grandes ecrãs do cinema. Foi uma mistura de entusiasmo, insegurança mas que sem dúvida ganhou a vontade imediata que tinha de ver este filme.

The Conjuring 3, é o terceiro filme dos filmes The Conjuring e dos quais ultimamente, tenho abordado por aqui no blog.  E, como não podia deixar de ser hoje trago-vos a opinião e respetivamente, recomendação de The Conjuring 3, The devil Made Me Do It ou A Obra do Diabo.

Em primeiro lugar, o meu regresso às salas de cinema foi efetuado em segurança. Apesar de não haver espaço entre as cadeiras, podem sempre escolher os vossos lugares e manterem-se distanciados. A exibição do filme é de forma contínua pelo que não existe pausas. Além disso, no momento de aquisição do bilhete, é vos dado uma toalhita desinfetante.

Em segundo lugar, recomendo verem este filme após estarem a par dos outros filmes anteriores. O basckstage do filme, ou seja, a história secundária nomeadamente do casal de investigadores, Ed e Lorraine Warren, é fantástica pelo que vale a pena acompanharem a sucessão de factos desde o início.

Em terceiro lugar, esta história aborda mais um dos casos do casal Warren que ficam perplexos quando sabem que um menino de apenas 8 anos está possuído por um demónio. No entanto, durante o exorcismo essa possessão é transferida e mais não posso dizer.

Só quero partilhar que este é mais um bom filme de terror e que vale bem a pena desde a realização do primeiro. Valorizo muito a história e não apenas os sustos que me podem pregar durante a visualização do filme, e este é um outro caso de uma história super interessante.

Dearly de Margaret Atwood | Livros

 Sinopse:


"Before she became one of the world's most important and loved novelists, Margaret Atwood was a poet. Dearly is her first collection in over a decade. It brings together many of her most recognisable and celebrated themes, but distilled - from minutely perfectly descriptions of the natural world to startlingly witty encounters with aliens, from pressing political issues to myth and legend.


By turns moving, playful and wise, the poems gathered in Dearly are about absences and endings, ageing and retrospection, but also about gifts and renewals. They explore bodies and minds in flux, as well as the everyday objects and rituals that embed us in the present. Werewolves, sirens and dreams make their appearance, as do various forms of animal life and fragments of our environment.


Dearly is a pure Atwood delight, and long-term readers and new fans alike will treasure its insight, empathy and humour."


Género: Poemas.


Data de Publicação: 2020.


Páginas: 122.


Editora: Penguin Random House.


Fotografia da minha autoria - Dearly de Margaret Atwood, livro

Opinião:


Surpreendentemente, Dearly, foi o livro de estreia enquanto leitora para conhecer a escritora, Margaret Atwood. Apesar de ter imensa vontade de ler Handmaid's Tale e consequentemente, The Testaments, Dearly, um livro de poemas, foi o livro que me introduziu ao mundo de Margaret Atwood.


Also, I grew older. People very close to me died.


Dearly, foi igualmente o primeiro livro de poemas do ano de 2021 e com a leitura terminada fiquei com uma grande vontade para ler mais livros sobre poesia já que é um género que tanto gosto. 


You sound like a bird. You stop, but the sorrow goes on calling.


Neste livro, encontrei uma grande variedade de poemas desde temáticas como o amor, o futuro do planeta, a próxima geração, o passaporte, as lembranças, os sonhos, a perda até os zombies, os lobisomens e os extraterrestres. Um verdadeiro mix de ficção e de não ficção. 


Let's go out and fight the storm, she used to say. So maybe she's fighting it.


Os meus preferidos são: "Late Poems", "If there were no emptiness"; "Frida Kahlo, San Miguel, Ash Wednesday"; "Bird Soul" e "Lost". 

Classificação: 4 estrelas.

sexta-feira, 11 de junho de 2021

The Conjuring 2 | Filmes

 Sinopse:


"O reputado casal de investigadores de fenómenos paranormais, Ed e Lorraine Warren, viajam até Enfield (a norte de Londres) para ajudar uma mãe solteira a criar quatro crianças numa casa assombrada por espíritos maliciosos."


Ano de Publicação: 2016.


Realizador: James Wan.


Género: Terror, Mistério.


IMDB: 7.3.


Crédito - The Conjuring 2
Opinião:

The Conjuring 2 é a continuação do filme anterior, The Conjuring (1). Portanto, é um filme de terror, de mistério e com muitos jumpscares à mistura.

Neste filme, uma mãe solteira tenta educar em Londres, quatro crianças enquanto atividades paranormais decorrem e envolvem diretamente, Janet (uma das filhas). No princípio, a mãe não acredita no que os filhos lhe contam mas logo apercebe-se do seu erro e pede ajuda. O casal, Ed e Lorrain Warren, entram em contacto mas, até eles põem em causa o testemunho da família, uma vez que a sua credibilidade, em caso de falso testemunho, pode ir por água abaixo.

É outro bom filme de terror e que embora se trate de uma continuação não nos desilude.

quinta-feira, 10 de junho de 2021

The Conjuring 1 | Filmes

 Sinopse:


"Antes de Amityville, existia Harrisville. Baseado numa história verídica, The conjuring narra o conto de terror de dois investigadores do paranormal mundialmente conhecidos, Ed e Lorraine Warren, que são chamados para ajudar uma família aterrorizada por uma obscura presença numa fazenda isolada. Forçados a confrontar uma entidade demoníaca poderosa, os Warren são apanhados no caso mais assustador das suas vidas."


Ano de Publicação: 2013.


Realização: James Wan.


Género: Terror.


IMDB: 7.5.


 Crédito -The Conjuring 1

Opinião:

Há uns dias revi um dos meus filmes de terror preferidos de sempre - The Conjuring. É um filme incrivelmente bem realizado que aborda a história de uma família que acaba de mudar de casa e imediatamente, começam a ocorrer factos estranhos.

É uma família de 7 membros que opta por se mudar para o interior e que à medida que os factos inexplicáveis decorrem, a mãe procura ajuda exterior e encontra o casal Warren que os vai tentar ajudar uma vez que o seu trabalho é exatamente expulsar as entidades malignas. Mas, quando envolve atividade demoníaca nada tende a ser fácil de se resolver já que a manipulação e a mentira são caraterísticas que dominam.

Como todas as boas histórias de terror, os jumpscares são uma técnica que não pode faltar. Aliada a uma história de espíritos malignos que assombram a família com particular incidência às 3h07 da manhã, bons atores e um bom realizador, aqui têm a recomendação de um filme de terror que podem ver.

Revi este filme a propósito da exibição nos cinemas do novo filme The Conjuring 3. E, brevemente, sai a opinião dos outros dois filmes, The Conjuring 2 e 3.

sábado, 5 de junho de 2021

6 Underground | Netflix

 Sinopse:


"Um multimilionário encena a sua própria morte e recruta uma equipa especial para levar a cabo uma missão arriscada: derrubar um impiedoso ditador."


Ano de Publicação: 2019.


Realização: Michael Bay.    


Género: Ação, aventura.


IMDB: 6.1.


Crédito

Opinião:


Já há algum tempo que não via um bom filme de ação e aventura até encontrar 6 Underground na Netflix. Tem a participação do famoso ator Ryan Reynolds que mais uma vez, desempenhou um papel espetacular inspirado no ainda mais famoso James Bond.

De forma sucinta neste filme, o número um - Ryan Reynolds - cria uma equipa especial, onde forjam as suas próprias mortes para uma vez que se tornarem sombras poderem agir sem preocupação quer com os seus amigos ou família. O número um, é a personagem principal e o responsável por escolher as missões onde atuam. Neste caso, escolhem derrubar um ditador do Tajiquistão e o substituir pelo seu irmão que acredita na democracia e no direito do povo.

É um filme repleto de ação, personagens humorísticas e onde o medo não tem grande lugar. 

Democracia em vertigem | Netflix

 Sinopse:


"Um documentário sobre um dos mais conturbados capítulos da história do Brasil, que combina uma profunda análise dos factos com memórias pessoais da realizadora."


Ano de Publicação: 2019.


Realização: Petra Costa.


Género: Documentário, Política.


IMDB: 7.2.


Crédito
Opinião:


Neste documentário, Petra Costa, mostra-nos os vários picos da democracia no brasil, desde a presidência Lula, Dilma a Bolsonaro. Mas também, partilha pequenas reflexões e momentos únicos da sua vida em que dançou e chorou na medida em que a democracia era respeitada e consequentemente, desrespeitada.

Percebemos como o juíz federal, Sérgio Moro, investiga e monta todo um processo relacionado ao lava-jato (projeto iniciado por Dilma para combater a corrupção no brasil) e julga esse mesmo caso contra o ex-presidente Lula, sem as suficientes evidências.

Basicamente, este documentário muito bem realizado mostra a corrupção e a democracia em vertigem, neste caso em concreto, no brasil. A democracia já teve os seus dias de glória e ascenção mas, neste momento está a passar por uma fase negativa em que todos nós precisamos de estar mais atentos ao que se passa à nossa volta, do ponto de vista político.

Partilha a importância da luta diária contra as pessoas que vêm a política meramente como uma ambição no âmbito de ganhar poder e enriquecer e não como a lei que rege todos os dias a vida de milhares de pessoas. Juntos pela igualdade, liberdade e pelo direito.
Com tecnologia do Blogger.